Conheça o II Simpósio Internacional Sobre Género e Cultura Prisional

SIGEP_logo

Depois do grande sucesso da 1.ª edição do SIGeP, integrado no 56.º Congresso Internacional de Americanistas, realizado em 2018 em Salamanca, decorreu nos dias 16 e 17 de outubro de 2020, a realização do II Simpósio Internacional Género e Cultura Prisional (SIGeP2020), num formato virtual, em Coimbra, que teve como discussão a questão: Será a prisão democrática?

Na história das prisões, não há lugar à diversidade e não se adivinha possibilidades de efetivação da personalidade da pessoa humana.

A mulher, muitas vezes é sub-representada numa conexão estabelecida entre a prisão e a cultura de patriarcado que domina os sistemas jurídicos, pensados e dirigidos sob a cultura do patriarcado. É esta representação das prisões que nos coloca a questão: será a prisão democrática?

A prisão alimenta uma visão de reinserção, igual quer para homens, quer para mulheres que procuram solucionar os seus problemas mais imediatos fora da ordem social.

O SIGeP2020 recebeu diferentes visões da prisão na ordem social, com especial foco no tratamento do género numa construção multidisciplinar dos direitos humanos. Recebeu, assim, propostas que unificam estudos descritivos sobre questões teóricas, metodológicas ou de investigação social em geral, assim como investigações com carácter empírico.

Neste simpósio foram entregues 260 trabalhos submetidos, dos quais foram aprovados 237. Participaram 427 pessoas de 11 países entre ele: Brasil, México, Colômbia, Portugal, Alemanha, Espanha, Rússia, Polónia, Itália, Índia, República Checa na temática: “Será a prisão democrática?”

O SIGeP2020 permitiu a investigadores, académicos, estudantes, profissionais e decisores políticos, a par da reflexão sobre as questões de género e da cultura prisional a nível internacional:

  • Articular os eixos da investigação e da intervenção nos diferentes sistemas prisionais;
  • Refletir sobre boas práticas e metodologias no âmbito da intervenção com população reclusa e que conduzam ao melhoramento das políticas nacionais;
  • Refletir sobre a influência do género nestes sistemas, conhecendo as diferentes políticas de intervenção sensíveis ao género;
  • Promover o networking entre profissionais nesta área, desenvolvendo redes de investigação e de boas práticas.
  • Publicar os resumos em livro com ISBN português.
  • Indexar artigos em formato de atas/anais do SIGeP2020 com indexação sistema Qualis e Web of Sciense (SCOPUS).

 

O programa do evento contou com os seguintes temas:

  • Intervenção prisional sensível ao género
  • A invisibilidades das mulheres no sistema de justiça
  • As mulheres no sistema prisional
  • Encarceramento massivo, políticas de reforma prisional e abolicionismo penal
  • A vivência da parentalidade no contexto prisional
  • Educação e formação em contexto prisional
  • Prisões, saúde mental e exclusão
  • Perspetivas etnográficas na prisão: sentidos do encarceramento, conceções de justiça e subjetividades
  • Prisões, organizações criminosas, criminalização das drogas e encarceramento
  • Sistemas regionais de direitos humanos e violações dos direitos humanos na prisão
  • Direitos humanos, empresas e prisão
  • Adolescentes em sistema socioeducativo
  • Prisão e migrações
  • Sistemas regionais de direitos humanos e violações dos direitos humanos na prisão
  • Direitos humanos, empresas e prisão
  • Adolescentes em sistema socioeducativo
  • Prisão e migrações
  • Direitos humanos, judicialização da vida, garantias processuais penais, poder punitivo e justiça restaurativa

O SIGeP2020 recebeu visões diferentes e novas sobre as prisões portuguesas, com especial foco no tratamento do género na construção multidisciplinar dos direitos humanos. Foi um evento de grande sucesso que recebeu propostas que unificaram estudos descritivos sobre questões teóricas, metodológicas ou de investigação socia, assim como investigações com carácter empírico.

Deixe um comentário

Preferências de Privacidade
Quando visita o nosso site, este pode armazenar informações por meio do seu navegador de serviços específicos, geralmente na forma de cookies. Aqui pode alterar suas preferências de privacidade. Observe que o bloqueio de alguns tipos de cookies pode afetar a sua experiência no nosso site e nos serviços que oferecemos.